Como os alimentos podem impactar nossa saúde emocional

 

Os estudos e esforços para descobrir não apenas as causas da depressão, mas potenciais curas, não são recentes. Diversas terapias, medicamentos e outras intervenções foram testadas como possíveis ferramentas em busca de tratamentos efetivos.

 

Reconhecidamente, os transtornos emocionais não têm uma única causa ou forma de tratamento.

 

Atuando de forma personalizada em cada caso, equipes multidisciplinares contam com profissionais de áreas cada vez mais distintas – como psiquiatras, psicólogos, educadores físicos e até nutricionistas – para proporcionar tratamento e alívio a pacientes.

 

Ainda assim, os esforços e pesquisas continuam, e os resultados apresentados são promissores.O consórcio multidisciplinar europeu MoodFood é um dos grupos a pesquisar a relação entre alimentação saudável e prevenção de doenças emocionais, como a depressão.

 

Baseada em 9 países, a iniciativa conta com abordagem integrativa, combinando experiência em nutrição, psicologia preventiva, psiquiatria e comportamento de consumidores. Desde 2014, suas pesquisas têm relacionado substâncias presentes em alimentos com níveis de ansiedade e depressão.

 

Comida e depressão

 

A alimentação tem impacto direto em nossa saúde, e isso não é novidade. Alguns alimentos podem desencadear respostas alérgicas, assim como outros podem auxiliar no funcionamento adequado do nosso organismo. Devemos enxergar a comida como combustível, entender a importância de cuidados com nutrientes e a relação direta com a nossa saúde mental.

 

Cuidados com a alimentação são frequentemente apontados como benéficos para o organismo. Por meio de alimentos saudáveis e atenção a determinados padrões alimentares, é possível prevenir e tratar doenças físicas, como hipertensão e diabetes, e mentais como depressão e demência. Esses cuidados também proporcionam aumento da sensação de bem estar, controle do peso e melhor disposição para atividades, contribuindo para maior qualidade de vida.

 

É preciso ressaltar, contudo, que ainda não existe evidência científica suficiente para apontar um único alimento como responsável pela cura de transtornos mentais ou alívio imediato de seus sintomas. Ainda assim, dietas tradicionais saudáveis auxiliam no tratamento geral de diversas patologias.

 

Um estudo, liderado por pesquisadores franceses chamado de NutriNet-Santé, cujo objetivo foi investigar, pela primeira vez, a associação prospectiva entre consumo de alimentos ultraprocessados e o risco de sintomas depressivos, observou uma relação forte e linear entre esses dois fatores. Ao investigar os subgrupos de alimentos ultraprocessados, foi encontrada uma associação com bebidas, molhos ou gorduras adicionadas e depressão.

 

Suplementos vitamínicos não ajudam

 

É comum que pessoas com deficiência de nutrientes e vitaminas recorram à utilização de suplementos para reposição, em vez de direcionar sua atenção aos hábitos alimentares.

 

Ainda que, para muitas pessoas, justificativas como dia a dia atribulado, dificuldade de encontrar alimentos saudáveis, disposição para a cozinha e mesmo questões como paladar sejam suficientes para preferir suplementos vitamínicos em cápsulas, do ponto de vista nutricional, essa escolha não é a mais adequada.

 

Suplementos vitamínicos e minerais industrializados têm o objetivo de trazer aporte para pessoas com escassez de nutrientes, má nutrição ou algum distúrbio que impeça a adequada absorção dessas substâncias.

 

As pesquisas que relacionam níveis de vitaminas e depressão ainda não encontraram evidências de que a suplementação seja eficaz neste aspecto. Assim, a recomendação é de que essas substâncias sejam extraídas de alimentos.

 

As pesquisas e avanços científicos têm trazido descobertas grandiosas para o campo dos transtornos mentais. Hoje, é possível contar com diversas tecnologias ao nosso favor, mas não podemos negligenciar o básico, desenvolver hábitos saudáveis, adequados às necessidades de nosso corpo e nossa mente.

 

A mudança é parte do processo de tratamento de diversos transtornos. Fale com a gente, podemos te auxiliar neste processo.