Ainda que seja natural a todos, a intensidade de seus sintomas pode indicar transtorno

 

Ter ansiedade é normal. Ansiedade é um mecanismo evolutivo que nos protege de perigos, nos permite planejar e nos adaptar a situações adversas. Portanto, é comum experimentar ansiedade em situações corriqueiras de nossas vidas, como em entrevistas ou quando nos deparamos com algo novo, por exemplo.

 

Ainda que não seja uma sensação muito agradável, vivenciar episódios de ansiedade faz parte da vida humana.

 

Contudo, pessoas que convivem com TAG – transtorno de ansiedade generalizada –  experimentam esses desconfortos de maneira frequente e intensificada, como medos, sensações negativas e apreensão frente à situações interpretadas como de risco, mas cujas dimensões não são necessariamente reais.

 

Com esses desconfortos, sintomas como irritabilidade, taquicardia, tensão muscular, inquietação e dificuldade de concentração também podem surgir, interferindo negativamente na qualidade de vida de quem convive com esse transtorno.

 

O que é ansiedade?

 

Muitas pessoas experimentaram ou irão experimentar episódios de ansiedade em suas vidas. Situações tensas, que nos colocam em alerta são parte de nosso cotidiano, e essa resposta às tais situações é perfeitamente normal.

 

Porém, quando essa sensação de alerta se torna constante, assim como a sensação desconfortável de que algum tipo de perigo pode acontecer a qualquer momento, podemos estar falando do Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG).

 

Marcado por altos níveis de tensão, medo irracional e desproporcional ao estímulo, o transtorno traz prejuízos e sofrimentos para as pessoas que convivem com ele.

 

O transtorno de ansiedade generalizada tem chamado muito a atenção de especialistas ao longo dos últimos anos, e isso se deve pela frequência de casos. Só no Brasil, segundo dados da OMS, 9,3% de toda a população convive com TAG, o que representa quase 20 milhões de casos.

 

Como identificar uma crise de ansiedade

 

Pessoas que convivem com TAG certamente já experimentaram um episódio de crise de ansiedade. Essas crises são mais comuns para pessoas que apresentam síndrome do pânico, mas também podem surgir em casos de TAG.

 

Os motivos que causam esses episódios não são fixos ou iguais para todas as pessoas. Uma reunião de trabalho, por exemplo, pode funcionar como gatilho para uma crise. Entretanto, seus sintomas são comuns a muitas pessoas, e podem às vezes ser confundidos com outros tipos de problemas.

 

Outros sintomas de TAG podem envolver

  • cansaço,
  • irritabilidade,
  • dificuldade para manter foco e tomar decisões,
  • dificuldades para dormir,
  • enjoo,
  • sudorese excessiva,
  • tremores,
  • dores de cabeça ou cólicas intestinais,
  • batimentos cardíacos acelerados ou irregulares,
  • sensação de boca seca,
  • comportamentos repetitivos

 

É importante reconhecer os sinais e, sempre que possível, dizer para pessoas de sua confiança quando você sentir que uma crise pode estar para começar. Falar a respeito do transtorno é o primeiro passo para compreendê-lo e tratá-lo da maneira correta, de modo a recuperar a qualidade de vida.

 

É possível curar o transtorno?

 

Ainda não existe uma cura específica para o transtorno. Por isso, quanto mais rápido for feito o diagnóstico e início do tratamento, maior a qualidade de vida possível.

 

Os motivos que causam esses episódios não são fixos ou iguais para todas as pessoas. Entretanto, seus sintomas são comuns a muitas pessoas, e podem às vezes ser confundidos com outros tipos de problemas.

 

Além dos efeitos psicológicos que uma crise de ansiedade pode trazer, existem também os sintomas físicos, que vão desde tontura ou falta de ar até náuseas e dores no peito. Como os sintomas físicos podem ser amedrontadores, quem os vive pode se sentir ainda mais desconfortável, potencializando a crise.

 

É importante reconhecer os sinais e, sempre que possível, dizer para pessoas de sua confiança quando você sentir que uma crise pode estar para começar. Falar a respeito do transtorno é o primeiro passo para compreendê-lo e tratá-lo da maneira correta, de modo a recuperar a qualidade de vida.

 

Convivendo com TAG

 

Crises de ansiedade podem ser experiências assustadoras. Durante uma crise, corpo e mente são tomados por sentimentos negativos de difícil controle. Além disso, as crises acontecem frequentemente sem aviso e em situações diversas. Contudo, não há necessariamente uma razão por trás de cada crise. Ela pode ocorrer tanto em situações de estresse elevado quanto em cenários comuns do dia a dia.

 

Felizmente, novas terapias, sobretudo tratamentos multidisciplinares têm surgido com o intuito de proporcionar alívio e a recuperação do bem estar de quem convive com TAG. Além disso, alguns hábitos e técnicas podem ajudar a passar por uma crise de ansiedade de maneira mais calma e controlada.

 

  • Práticas como atividade física, alongamentos e meditação podem ajudar a diminuir o sentimento de ansiedade de maneira geral, por contribuírem para aumento da saúde e da sensação de bem estar.

 

  • Manter um planejamento diário ou semanal com as atividades de trabalho, exercício e afazeres domésticos também é uma boa maneira de controlar a ansiedade. Assim, é possível reduzir imprevistos e seguir sem sustos.

 

  • A rotina e qualidade do sono também são fatores importantes e que colaboram para controlar a ansiedade. Além de ser fundamental à nossa disposição, boas noites de sono também melhoram nosso humor, o que ajuda a manter atitudes mais positivas ao longo do dia.

 

  • Medicações. Existem diversos tipos de remédios eficazes e seguros para tratar esse transtorno. Medicações que trabalham especificamente para abortar uma crise podem ser utilizadas e geralmente antidepressivos são empregados para o tratamento da TAG.

 

Além disso, é importante conversar sobre o transtorno de ansiedade generalizada e buscar auxílio médico para o tratamento.